Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
CHEGUEI A META

04/04/2011

Mas de modo nenhum considero a minha vida preciosa para mim mesmo, contanto que eu leve a bom termo a minha carreira e realize o ministério que recebi do Senhor Jesus: testemunhar a boa nova da graça de Deus. (At 20,24).

Por isso, desde a única janela da prisão romana, olha seu passado e enfrenta o futuro, declarando que depois de uma corrida de Maratona, pregando o Evangelho de Graça, chegou à meta que se havia proposto: quanto a mim já estou sendo oferecido em libação, pois chegou o  tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé (2 Tim 4, 6-7).

Existem certas características que nos comprovam que chegamos à meta:

Quando teu egoísmo não limitar tua capacidade de amar... é porque chegou à meta.

Quando confiar em ti mesmo, ainda que todos duvidem de ti, e deixar de preocupar-te pelo que dirão ou pensarão os outros a teu respeito... é porque chegou à meta.

Quando souber distinguir o sorriso da maldade e preferir a eterna luta à falsa vitória... é porque chegou à meta.

Quando atuar por convicção, e não motivado pela bajulação... é porque chegou à meta.

Quando puder ser pobre sem perder tua riqueza e ser rico sem perder tua humildade... é porque chegou à meta.

Quando for capaz de perdoar da mesma maneira como hoje te desculpas... é porque chegou à meta.

Quando puder  caminhar  junto ao pobre, sem esquecer que é imagem e semelhança de Deus, e junto ao rico sem pensar que é um deus... é porque chegou à meta.

Quando aprender a usar teu silencio, a quem não te pedir palavra alguma e souber retirar-te de um cenário... é porque chegou a meta.

Quando não quiser encontrar as respostas nas coisas que te rodeiam, mas em ti mesmo... é porque chegou à meta.

Quando aceitar os enganos e não perder a calma... é porque chegou à meta.

Quando tua felicidade ou infelicidade não depender de coisa, situação ou pessoa alguma... é porque chegou à meta.

Só então poderá considerar que tem limitado tua carreira.
Não há nada mais triste que abandonar a corrida na metade do caminho, sem atravessar a faixa de chegada.

O atleta tem sempre em sua mente e em seu coração o desafio de terminar o que começou.

Não importa o ponto em que nos encontramos, não é hora de olhar para trás, mas enfrentar o desafio de chegar ao final da corrida.

Senhor, a verdade é que não cheguei ainda à meta, mas estou caminhando, sem desistir, para um dia poder dizer, cheio de orgulho: “Terminei a corrida e agora espero receber a coroa que sei que vais presentear-me, não por meus méritos, mas pelos  teus ganhos na cruz”.

Não cheguei à meta, mas estou mais perto que estava ontem e mais longe que amanhã.

(Cópia de como envangelizar com parábolas  de José H> Prado Flores)

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia São Sebastião. Todos os direitos reservados.