Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Sindrome do fim de ano

30/11/2009

Todo fim de ano é assim: as pessoas se encontram cheias de expectativas com a chegada das festas.

É confraternização no serviço, é confraternização na escola, é confraternização com a família, e em outros grupos que requer uma confraternização de fim de ano.

As pessoas se empolgam com a chegada do décimo terceiro salário e saem distribuindo presentes e fazendo festas a rodo. Chega até ser contraditório: pessoas que passaram o ano todo reclamando da falta de dinheiro; das doenças que apareceram; do jeito de agir do fulano; etc;

ficam de repente “endinheirados” (os que lhe permitem fazerem churrascos, festas e etc), sem doença (pois dá para pensar em dor em meio a festas e trocas de presentes?); e todos os que lhe rodeiam e que era tido até então como chato, implicante e etc durante o ano, passam a serem “boa gente”.

Os consultórios médicos, psicológicos, emergências, etc, ficam vazios, pois atendimento mesmo somente para aqueles que de fato necessita do socorro, como num caso de acidente e ou pacientes cujo tratamento é ininterrupto.

Tudo é só alegria! É festa aqui, é festa ali, ninguém fica triste! Parece que com a chegada do verão todos ficam mais alegres e despreocupados em relação aos compromissos assumidos. Encontra-se jeito para tudo!

As pessoas costumam dizer que o Brasil só “funciona” depois do carnaval, pois é a época que vem os impostos: IPVA, IPTU, e que tudo de fato volta ao “normal”.Antes ...é só folia!!

Fim de ano, porém é uma época mais do que especial: é a época que festejamos o aniversário de Jesus (ao menos deveríamos lembrar de festejar com mais intensidade). Fazem-se tantas festas, com decorações lindas: presépios, luzes, árvores de Natal, entregam-se tantos presentes aos amigos e familiares, mas quase ninguém prepara a festa especificamente para o aniversariante.

Ao badalar das 00hs todos se desejam “Feliz Natal” mas quase ninguém reza um Pai Nosso e uma Ave Maria pelo aniversariante. Ninguém lhe canta os “parabéns pra você”.

Deus enviou seu filho amado para nos salvar e assim como nós, Ele como aniversariante também deseja ser presenteado. Mas seu presente não é comprado em lojas, ele deve vir de dentro da cada pessoa de forma pura e sincera. Jesus quer apenas que o amamos assim como Ele nos ama. Não custa caro, basta estar sempre em sintonia com Ele seguindo e praticando os seus ensinamentos.

Desejo á todos os paroquianos um Feliz Natal e um Ano Novo inteiro neste mesmo espírito de amor e alegria tal qual nos encontramos nesse período de festas.

Um abraço!

Rejane de Fátima Travaioli

Psicóloga Clínica

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia São Sebastião. Todos os direitos reservados.