Avisos Paroquiais
Receba nosso informativo diretamente em seu e-mail.
Setembro mês da Bíblia

25/08/2009

          “ Durante o mês da Bíblia 2009, propõe-se á nossa reflexão a carta de São Paulo aos Filipenses, sobre o tema: “alegria de servir no amor e na gratuidade” O lema é” tende entre vós os mesmos sentimentos de Cristo Jesus” é uma excelente oportunidade para analisarmos nosso modo de agir no mundo de hoje, fazendo séria revisão de nossa vida cristã, pessoal e comunitária, á luz da experiência exemplar dos cristãos da comunidade de Filipos.

 


 Introdução da carta

          É consenso da pesquisa bíblica que o autor da carta aos Filipenses  é Paulo, um dos personagens mais conhecidos do Novo Testamento. Ele evangelizou a cidade de Filipos, juntamente com Silas e Timóteo, em sua segunda viagem missionária, entre os anos 49 e 52 d.C.

          Filipos se torna importante no ano 31 a.C; quando elevada a dignidade de Colônia do Império Romano. A partir daí, os aliados do imperador de muitos veteranos das legiões Romanas são recompensados com grandes extensões de terra na cidade e se transferiram para lá. Seus habitantes, especialmente os que possuem cidadania romana, orgulham-se da cidade, de seus laços com Roma, de seguirem os costumes e obedecer às leis romanas, de se vestirem como romanos, de poder cunha sua própria moeda.

          A cidade com terras férteis e com uma localização geográfica que contribuem para seu crescimento. Filipos fica próximo ao porto de Neápolis e a vida Egnátia, uma importante estrada que passa por ela. A circulação de diferentes pessoas na região e a presença de moradoras/es de diversas origens culturais fazem com que a cidade apresente forte diversidade religiosa. Muitas divindades são cultuadas em Filipos.
Algo novo nasce no chão da cidade de Filipos: uma comunidade cristã viva, sensível que participa ativamente no trabalho de expansão da boa nova.

 pp

Conhecendo a comunidade cristã de Filipos

          O livro de atos de apóstolos nos fornecem informações sobre o nascimento da comunidade cristã de Filipos. Paulo chega á cidade, acompanhado por Silas e Timóteo. Os três ficam sabendo que um grupo de pessoas costuma rezar fora da cidade, ás margens de um rio. Eles se dirigem para o local, onde encontram algumas mulheres que costumam se encontrar para fazer suas orações. É dia de sábado Os missionários começaram a lhes falar. Entre elas se encontra Lídia, original das cidade de Tiatira, na Ásia menor.

          Ela é negociante de púrpura e “ adoradoras de Deus “, o que pode significar ser simpatizante do judaísmo e observante de suas praticas religiosas. Provavelmente, essas mulheres trabalhavam com púrpura vegetal. Esse tipo de atividade, pesada e causadora de muitas sujeira, era feito, de um modo geral nas periferias da cidades e por pessoas que lá moravam.

          Lídia acolhe o evangelho, recebe o batismo com os de sua casa e oferece lugar para os missionários se hospedarem. A comunidade cristã filipense esta nascendo, e ela nasce fora do espaço oficial, como as sinagogas (At 16,11-15).


          Pouco sabemos da composição da comunidade de Filipos. Na própria carta, Paulo cita os nomes de Epafrodito, Evódia, Síntique, Sízigo, todos nomes de origem grega, indicando que a comunidade compunha-se de vários membros vindos da cultura grega e apenas nome de Clemente, iniciando um membro de origem romana estudiosos do assunto afirmam que 35% da comunidade compunha-se de romanos.


          São características dessa comunidade cristã a solidariedade e a generosidade. Por diversa vez Paulo pôde contar com sua ajuda (Fl 4,15;2 Cor 11,9). Também na coleta para os cristãos do de jerusalém os felipenses contribuírem prontamente (2 Cor 8,1-2).

          Na comunidade cristã de Filipos encontramos que desempenho papel de liderança de acordo com as palavras de Paulo, elas trabalham arduamente ao seu lado na proclamação do evangelho ( Fl 4,3). Pela carta, percebemos, ainda o quanto a comunidade é afetuosa. Paulo, por diversas vezes, demonstra carinha e afeto por seus membros e é correspondido na mesma altura. Ao se dirigir á comunidade ele não se denomina apostolo, mais servo de Jesus Cristo.


          Com tudo, a comunidade cristã de Filipos não é perfeita. Nela parece haver diferenças sociais. Entre seus membros encontramos pessoas que tem cidadania romana e pessoas que não a possuem; pessoas pobres; pessoas escravas. Tais diferenças provocam conflitos e geram egoísmo, presunção, busca dos próprios interesses (2,3-4); murmuração, resmungos (2,14) disputas (4,2). Paulo, porem, se dirija a todos os membros com a feto e os convida a harmonia e ao cuidado mútuos.


          Desejo a todos paroquianos da paróquia São Sebastião que esse estudo da carta de São Paulo aos Filipenses seja um grande despertar a todos da comunidade. Um abraço a todos assinado

Diácono Sebastião Garcia Machado

A fonte desse foi tirada do subsidio bíblia gente Editora Paulus São Paulo

Voltar

 
| Política de privacidade © 2009 Paróquia São Sebastião. Todos os direitos reservados.